Você conhece a campanha do Aleitamento Materno?

      O Ministério da Saúde tem uma campanha cujo objetivo é incentivar as mães a manterem a amamentação quando elas estiverem de volta ao trabalho, falando não só dos benefícios e possibilidades de continuar amamentando, mas também para conscientizar empregadores sobre as vantagens de apoiar essa prática. Continue Lendo “Você conhece a campanha do Aleitamento Materno?”

Qual a importância dos dentes de leite?

1 – mastigar os alimentos, etapa importante da digestão.

2 – auxiliar nos crescimento dos ossos e músculos da face.

3 – auxiliar na pronúncia correta das palavras.

4 – contribuir para a aparência e autoestima da criança.

5 – guardar o espaço para os dentes permanentes que virão.

Vamos falar sobre higiene bucal no autismo

Apresentação1Transtorno do Espectro Autista (TEA)

Este post irá ajudar na rotina diária dos cuidados bucais. Algo tão importante, pois caso a criança autista tenha cárie ela sentirá dor e a dor desorganizará a criança com TEA, podendo torná-la agressiva e assim, contribuir para o aumento do uso das medicações.

Escova ideal > com cerdas macias ou extra macias, cabeça pequena e cabo longo (quando outra pessoa realiza a escovação) ou cabo normal (quando a própria criança escova seus dentes sozinha).

Creme dental ideal > com flúor na sua composição. Lembre-se que a quantidade colocada na escova é bem pequena.

Para ajudar no abrir a boca > dividir por quadrantes e ir escovando por partes, este vídeo auxilia demais (Dino no dentista).

Como escovar os dentes > a mãe deve iniciar a manipulação oral da criança para dessensibilização. A visita ao cirurgião-dentista precisa ser no mínimo semestral (2 vezes ao ano) e deve-se realizar a higiene bucal pelo menos 3 vezes ao dia.

Material e imagens disponíveis em: Cartilha - higiene bucal para pessoas com TEA

DESCOMPLICAndo – removendo o hábito de chupar o dedo

1. Em primeiro lugar, muita paciência. Nenhum comportamento muda de uma hora para outra, nem com adultos e nem com crianças. É preciso tempo e compreensão durante esse processo.

2. Ofereça à criança um espaço para falar sobre seus sentimentos. Estimule conversas que permitam a expressão das emoções, fale sobre si, pergunte sobre o dia dela e demonstre que se interessa por seus assuntos.

3. Proponha atividades manuais. Recortar, colar, pintar, desenhar… Ao estar com as mãos ocupadas, muitas vezes a criança não se lembra de levá-la à boca.

4. Brinquem de desenhar nas pontas dos dedos, coloquem adesivos ou curativos coloridos. Os “dedinhos enfeitados” podem ser um estímulo a mais para que a criança não os coloque na boca.

5. Interrompa o hábito durante o sono. Quando perceber que a criança está dormindo com o dedo na boca, tire de maneira delicada.

6. Aumente o tempo das mamadas. Se a criança ainda mama no peito, deixa-la sugar por mais tempo pode ajudar, já que chupar o dedo pode sinalizar uma carência afetiva.

7. Não tenha atitudes radicais. Colocar pimenta, pó de café ou qualquer outra substância amarga ou picante nos dedos da criança pode agredir seu organismo e não será eficaz.

8. Não ridicularize a criança na frente de outras pessoas. Essa atitude pode aumentar ainda mais sua ansiedade e insegurança.

9. Ofereça às crianças mais velhas alimentos fibrosos, frutas e legumes.

10. Se a dificuldade persistir procure ajuda especializada. Odontopediatras, fonoaudiólogos, nutricionistas e psicólogos podem orientar a melhor maneira de auxiliar a criança.

Texto Blog da Leiturinha

Alerta: tempo de uso das chupetas

A Associação Brasileira de Odontopediatria (ABOPED) e o Ministério da Saúde recomendam que a idade de 3 anos é a época limite para a eliminação do uso de chupeta. Entretanto, o ideal seria remover gradualmente este hábito até os 2 anos de idade, para que haja a autocorreção de desarmonias nas arcadas dentárias (os famosos dentes tortos por causa da chupeta).

Benzocaína: insegura para bebês

A FDA (Food and Drug Administration) dos EUA alerta para o fato de que medicamentos orais SEM prescrição médica, que contenham benzocaína, NÃO devem ser usados ​​no tratamento de bebês e crianças menores de 2 anos. Esses produtos acarretam sérios riscos e proporcionam pouco ou nenhum benefício para o tratamento da dor oral devido ao nascimento dos dentinhos. Benzocaína é um anestésico local que pode causar uma condição na qual a quantidade de oxigênio transportado através do sangue fica reduzido. Essa condição, chamada meta-hemoglobinemia, pode ser fatal e resultar até em morte.

A Benzocaína age como anestésico local. Seu uso não exige prescrição médica e é regulado no Brasil pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA), seguindo as recomendações de dosagem para cada paciente e para cada tipo de aplicação.

Fontes consultadas: https://bit.ly/2M2hitA e https://cbsn.ws/2KOWbcM

Dra. Tássia, meu bebê chora muito para escovar os dentes. O que eu faço?

Imagem internet

Continue escovando os dentes do seu bebê com muito carinho e cuidado, independente do choro. Com o tempo o bebê se acostumará e passará a gostar da higiene oral. Nesta fase o choro é comum, pois é a forma que o bebê tem para se comunicar. Provavelmente ele chorará no primeiro banho, ao tomar remédio com um sabor desagradável, na primeira vacina… Não desista!