DESCOMPLICAndo – o flúor presente na água

1. A água fluoretada é uma medida de saúde pública recomendada pela Organização Mundial da Saúde que é realizada em muitos países, como Austrália, Estados Unidos, Irlanda, Nova Zelândia, além do Brasil. 

2. Tem como objetivo atuar em prol da saúde bucal favorecendo o processo de remineralização que ocorre no esmalte dental. 

3. O flúor da água é absorvido pelo estômago e retorna à cavidade bucal através da saliva.

4. Não oferece risco para a saúde geral da população, e possui uma ótima relação custo-benefício.

5. O método exige alguns cuidados quanto à manutenção e monitoramento dos níveis adequados.

6. O flúor só é tóxico em certas concentrações. Porém, os níveis recomendados para a fluoretação das águas são muito baixos, e NÃO expõem riscos à população.

7. O único problema desta medida é moral e relaciona-se à restrição da liberdade individual.

Fontes consultadas: Garbin et al., 2017. Fluoretação da água de abastecimento público: abordagem bioética, legal e política


ABOPED 

Não confie só na Internet!

Uso de produtos de saúde bucal sem base científica é um perigo!

População deve ficar atenta para as ofertas que NÃO tenham embasamento científico e que NÃO tenham sido recomendadas ou prescritas (no caso de produtos controlados) pelo cirurgião-dentista. Embora a Internet propicie muitos benefícios para seus usuários, é preciso ficar atento aos sites e mídias sociais que proliferam informações sobre procedimentos e produtos de saúde bucal, sem base científica ou registro em órgãos regulatórios como a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

O alerta é do Conselho Regional de Odontologia de São Paulo (CROSP) e vale, especialmente, para as receitas caseiras divulgadas de forma irresponsável.

Lembre que: bons resultados só são possíveis a partir do uso de pasta de dente, enxaguante, fio ou fita dental. O uso correto desses produtos ainda é a forma mais segura de higienização e combate à cárie.

Fonte: http://abodontopediatria.org.br/site/?p=1157

Gengivite e parto prematuro

Um estudo realizado nos Estados Unidos confirmou a forte relação do tratamento eficaz da gengivite (inflamação da gengiva) durante a gravidez com uma redução das chances de parto prematuro e de baixo peso. O estudo acompanhou 750 mulheres que possuíam gengivite moderada e severa durante a gravidez e também concluiu que:

-> as chances de contrair gengivite durante a gravidez é a mesma independente do nível socioeconômico da gestante;

-> a gravidez provoca o aparecimento de algum nível de gengivite na mulher;

-> as gestantes não estão visitando o dentista regularmente.

Fonte consultada: https://www.dentalpress.com.br/portal/tratamento-de-gengivite-diminui-parto-prematuro/#utm_source=rss&utm_medium=rss&utm_campaign=tratamento-de-gengivite-diminui-parto-prematuro

Alerta: tempo de uso das chupetas

A Associação Brasileira de Odontopediatria (ABOPED) e o Ministério da Saúde recomendam que a idade de 3 anos é a época limite para a eliminação do uso de chupeta. Entretanto, o ideal seria remover gradualmente este hábito até os 2 anos de idade, para que haja a autocorreção de desarmonias nas arcadas dentárias (os famosos dentes tortos por causa da chupeta).

Benzocaína: insegura para bebês

A FDA (Food and Drug Administration) dos EUA alerta para o fato de que medicamentos orais SEM prescrição médica, que contenham benzocaína, NÃO devem ser usados ​​no tratamento de bebês e crianças menores de 2 anos. Esses produtos acarretam sérios riscos e proporcionam pouco ou nenhum benefício para o tratamento da dor oral devido ao nascimento dos dentinhos. Benzocaína é um anestésico local que pode causar uma condição na qual a quantidade de oxigênio transportado através do sangue fica reduzido. Essa condição, chamada meta-hemoglobinemia, pode ser fatal e resultar até em morte.

A Benzocaína age como anestésico local. Seu uso não exige prescrição médica e é regulado no Brasil pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA), seguindo as recomendações de dosagem para cada paciente e para cada tipo de aplicação.

Fontes consultadas: https://bit.ly/2M2hitA e https://cbsn.ws/2KOWbcM

Dra. Tássia, meu bebê chora muito para escovar os dentes. O que eu faço?

Imagem internet

Continue escovando os dentes do seu bebê com muito carinho e cuidado, independente do choro. Com o tempo o bebê se acostumará e passará a gostar da higiene oral. Nesta fase o choro é comum, pois é a forma que o bebê tem para se comunicar. Provavelmente ele chorará no primeiro banho, ao tomar remédio com um sabor desagradável, na primeira vacina… Não desista!

O que o Odontopediatra faz?

1. Orienta e motiva pais e/ou responsáveis, quanto à promoção e manutenção da saúde bucal das crianças.

2. Ajuda a criança e o adolescente a desenvolver comportamentos e hábitos que conduzam à saúde bucal, conscientizando-os dessa responsabilidade.

3. Avalia o crescimento e o desenvolvimento a fim de detectar possíveis desvios com repercussão nas estruturas dento-faciais.

4. Identifica os fatores de risco, em nível individual, para as principais doenças da cavidade bucal, e implementa estratégias preventivas e de mínima intervenção.

5. Reabilita, morfológica e funcionalmente, o aparelho estomatognático lesado pelas doenças mais comuns que atingem a cavidade bucal da criança e do adolescente.

6. Encaminha o paciente para serviços adequados de especialidades odontológicas ou afins, sempre que as necessidades ultrapassem as limitações próprias da Odontopediatria.

7. Integra as equipes de Odontologia em Saúde Coletiva, a fim de contribuir para a promoção de saúde bucal.

E porque devo saber isso, Dra. Tássia? Para saber identificar um bom profissional da área e cuidar do seu(sua) filho(a) com o carinho que ele(a) merece. 

Fonte consultada neste post: https://bit.ly/2wqJUZM

Dra. Tássia, porque o dente permanente do meu filho é mais escuro que o dente de leite?

Apresentação1

O dente permanente apresenta uma cor mais amarelada quando comparado ao branco do dente de leite, devido a dentina. A dentina é o tecido responsável pela cor do dente, que fica logo abaixo do esmalte (veja a figura acima). Nos dentes permanentes a espessura da dentina é maior, por isso eles são mais amarelados quando comparados aos dentes de leite. E isto é normal!

Xilitol evita a cárie?

O Xilitol é um adoçante natural encontrado em algumas frutas, plantas e vegetais. Sua anti-cariogenicidade é determinada principalmente pela sua não fermentabilidade por bactérias que causam a cárie, ou seja, o Xilitol traz benefícios para a saúde bucal pois inibe o crescimento das bactérias cariogênicas (Streptococcus mutans), criando um ambiente ecologicamente desfavorável para elas.

Atenção: O Xilitol não substitui o uso do fio dental, escova de dente e enxaguante bucal, mas é um ‘bom amigo’ dos dentes. Ele pode ser encontrado em produtos comestíveis como balas, chicletes, confeitos e chocolates, e em produtos para a higiene bucal como cremes dentais e enxaguantes bucais.

Dra. Tássia, como faço meu filho gostar de escovar os dentes?

Um dos passos mais importantes para estimular os seus filhos a escovar os dentes é o exemplo em casa. É muito mais fácil para o seu filho entender que a escovação faz parte dos hábitos saudáveis do dia a dia quando ele cresce em um ambiente onde todos escovam os dentes e usam o fio dental.

1- As crianças copiam a postura dos adultos, assim fazer da escovação um momento divertido em família cria o prazer em cuidar dos dentes.

2- Crie um ambiente adequado na hora da escovação. Seu(sua) filho(a) deve se sentir seguro ao escovar os dentes. Nada de colocá-lo(a) em cima do vaso sanitário para alcançar a pia. Um banquinho é sempre o mais indicado.

3- Explique de forma carinhosa ao(a) seu(sua) filho(a), a importância de escovar os dentes, como por exemplo: não ter bichinho na boca, não ficar com bafinho, ter dentes branquinhos como o do super-herói, princesa…

4- NÃO ASSUSTE seu(sua) filho(a) criando medos, como falar sobre o MONSTRO da cárie, MOTORZINHO que dói e INJEÇÃO do dentista. Tudo se tornará uma grande tortura e não haverá incentivo para cuidar dos dentinhos. O medo e o trauma só atrapalham os cuidados com a saúde bucal do seu(sua) filho(a).